Footer Home 1
       

Ogum Xoroque: Histórias e Rezas do Orixá

Ogum Xoroque: Histórias e Rezas do Orixá

Presente nas religiões de matriz africana, Ogum Xoroque é uma entidade dual, ou seja, que contém duas forças em si mesmo, sendo elas a de Ogum e a de Exu.

Há mitos que dizem que essa qualidade de Ogum surgiu pelo fato de ele ser irmão de Exu e, como eram muito próximos um do outro, suas representações começaram a ser confundidas.

Além disso, quando se manifesta para os seres humanos, essa entidade dança de forma muito parecida com os outros Oguns; o que a diferencia é a possível presença de um ogó, um instrumento em formato fálico que é símbolo do Orixá Exu Africano.

De acordo com Olga Cacciatore, Ogum Xoroquê, também chamado de Xogum ( EXÚ DE OGUM) , é um Ogum feroz e briguento, tão bravio que termina por torna-se um Exú.

É por isso que  ele tem tanta presteza em procurar resolver as demandas de seus filhos- de- fé, assumindo suas brigas e quizilas. O próprio nome da entidade reflete essa característica: em iorubá, xoro + ké significa gritar ferozmente ou cortar cruelmente.

Historia de Ogum Xoroque

Ogum Xoroque: Histórias e Rezas do Orixá
Ogum Xoroque: Histórias e Rezas do Orixá

Sua origem se dá na mitologia de um povo primitivo africano. Nessa mitologia há a menção de 600 deuses primários, que são divididos em duas raças: Irum Imole – deuses do céu – e a dos Igbá Imole – deuses da terra. Segundo a mitologia, há 400 deuses Irum Imole e 200 deuses Igbá Imole.

Dessas duas raças surgiram outros dois grupos distintos de deuses secundários, os orixás, da raça dos Irun Imole, e os ebora, da raça dos Igbá Imole, que posteriormente deram origem a mais classes de deuses, nascendo assim os orixá funfun (brancos), os orixá dudu (negros) e a união destes forma uma terceira classe, a dos orixá pupa (vermelhos), que ainda são divididos entre omode okunrin (descendente masculino) e omodé obirin (descendente feminino).

A mitologia conta que os Igba Imolé guerrearam com os Irun Imole. Quando cessaram essa disputa, escolheram um omode okunrin denominado Ogum para ser o guardião dos Igbá Imole e mensageiro entre as duas raças de deuses.

Lenda de Ogum Xoroque

Há mais de uma lenda que conta a história desta poderosa entidade e sua origem na umbanda.

Entre elas há o antigo mito que diz que, ao voltar de uma caçada, esse Ogum não teria encontrado vinho de palma, então zangou-se de tal maneira que subiu a um monte com toda a sua ira e gritou ferozmente, cortando-se e cobrindo-se de sangue e fogo ali mesmo. Esse furioso Ogum, chamado agora de Xoroquê, foi para outros reinos, sempre guiado pela raiva, guerreando, lutando, invadindo e conquistando tudo o que entrava em seu caminho.

Devido ao seu comportamento raivoso, muitos chegaram a acreditar que se tratava de um Exu furioso por não ter recebido suas oferendas ou que Ogum tivesse se transformado em um Exu, o que faz com que muitos o tratem como Exu no candomblé.

Antes que ele chegasse a um reino chamado Ire, um Oluwo que vivia ali recomendou que os habitantes oferecessem a Xoroquê um Aja (cachorro), inhame e muito vinho de palma, além de se prostrarem no chão como sinal de respeito.

Todos fizeram o que foi recomendado, exceto o rei, que foi morto por Xoroquê assim que ele chegou na região. Dessa forma, antes que o guerreiro fizesse o mesmo com a população, os nativos fizeram o que foi recomendado, cantando os pontos de Xoroquê, o que o acalmou imediatamente. Em seguida, Ogum Xoroquê se proclamou rei de Ire.

Sendo assim, toda vez que Ogum Xoroquê se zanga, sai por aí para guerrear e descontar sua ira.

Oração para Ogum Xoroque

Ogum Xoroque: Histórias e Rezas do Orixá
Ogum Xoroque: Histórias e Rezas do Orixá

Pai, que minhas palavras e pensamentos cheguem até Vós em forma de prece que seja ouvida.

Que essa prece corra todo o universo e chegue até os necessitados em forma de conforto para as suas dores.

Que corra os quatro canto da Terra e chegue aos ouvidos dos meus inimigos em forma de brado ou advertência do filho de Ogum Xoroquê que sou, por isso nada temo, pois eu sei que a covardia não muda o destino.

Ogum, padroeiro dos agricultores e dos lavradores, fazei com que minhas ações sejam férteis como o trigo que cresce e alimenta a humanidade, para que todos saibam que sou teu filho(a).

Ogum, senhor da estradas, fazei de mim um verdadeiro andarilho e que eu seja sempre um fiel escudeiro do teu exército. Que nas minhas caminhadas só haja vitórias.

Mesmo quando aparentemente derrotado(a), eu seja vitorioso(a), pois nós, os Vossos filhos, não conhecemos a derrota, porque sendo o Senhor é o Deus da guerra; nós, Vossos filhos, só conhecemos a luta, como esta que travo agora, embora sabendo que é só o começo, mas tendo o Senhor como meu Pai, então minha vitória será mais do que certa.

Ogum, meu grande Pai e protetor, fazei com que meu dia de amanhã seja tão bom quanto o de hoje.

Que minhas estradas sejam sempre abertas. Que no meu jardim só haja flores e que meus pensamentos sejam sempre bons. Que aqueles que me procurarem sempre consigam o remédio para seus males.

Ogum, vencedor de demandas, que todos os que cruzarem minha estrada o façam com o propósito de engrandecer mais ainda a ordem dos cavaleiros de Ogum.

Pai, dá luz aos meus inimigos, pois se eles me perseguem é porque vivem nas trevas, então na realidade perseguem a luz que Vós me destes.

Senhor, me livre das pragas, das doenças, das pestes, dos olhos grandes, da inveja e da vaidade que só levam à destruição.

Ponto de Ogum Xoroque

Ô Ogum Ô Ogunhê, iê, iê

Ô Ogum, Ogum Xoroquê

Meu senhor das estradas,

Ogunhê

Abra meus caminhos,

Ogunhê

Meu senhor da porteira,

Ogunhê

Ele é meu pai, Ogum Xoroquê

OGUNHÊ, MEU PAI OGUM!

Leia mais: Historias de Ogum

                   

  1. Acompanhe o nosso site nas Redes Sociais: Facebook, Instagram

Mais para Ler

Footer Home 1

Links Úteis

Contato

Copyright © 2021 Aldeia Santa Todos os Direitos Reservados.